segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Hate You - Capítulo 12.


Ele foi, fui ao banheiro e tomei banho. Sai, me vesti e deitei na cama. Cheirei o travesseiro e senti o cheiro de Justin. Como se ele fizesse parte de mim agora, estava vendo esse sentimento crescendo dentro de meu coração agora, sem querer. E o pior é que não podia fazer nada. Eu sabia, meu coração inocente e ingênuo tinha escolhido ele, só espero que não tenha se enganado dessa vez, como em todas outras.
  Fui pra cozinha, preparei um ovo mexido, e jantei. Volto pro quarto e pego no sono rápido, tinha sido um longo dia. Na manhã seguinte, acordo 11 horas, faço tudo que tinha que fazer e passo o dia fazendo trabalhos pra faculdade. Nem sinal de Justin o dia todo, 18:15, tomo meu banho, me arrumo, pego a bolsa e vou pra faculdade. Me surpreendi ao ver que Chaz estava fazendo faculdade de medicina no mesmo lugar. Mais um amigo já que não tinha muitos lá. As aulas passaram normalmente, 9:30, estava dentro no carro, pronta pra dar a partida quando Justin apareceu gritando.
Bieber: Vamos sair ?
Eu: Pra onde ?
Bieber: Sei lá, só caminhar.
Eu: Ok. E meu carro ?
Bieber: Trouxe mais um motorista.
  Concordei. Fomos andando por um lugar onde nunca tinha ido. Era meio escuro e tinha pouca neblina. Jantamos num restaurante ali perto e deixei meu carro com o motorista amigo do Kenny. Fomos caminhando e conversando pra mais adentro desse bairro, ou seja lá o que fosse aquele lugar. Depois de uns 10 minutos andando, olho ao redor, e sim. Estávamos perdidos.
Eu: Ei, tem alguma ideia de onde estamos ? Diz que sim, por favor.
Bieber: Quer que eu minta ?
Eu: Sim.
Bieber: Eu sei onde estamos.
Eu: Onde ?
Bieber: Na verdade eu não sei. Mas fica calma, é só acharmos o caminho de volta.
Eu: Haha, isso ajuda muito.
Bieber: Vamos perguntar pra aqueles caras – ele disse apontando pra um grupo de homens que nos observava.
Eu: Não Justin, eles podem ser perigosos.
Bieber: Ah, qual é ? Não vai dar em nada.  
  Fomos nos aproximando dos 5/6 caras mal-encarados. Justin ia na frente, não estava com um dos melhores pressentimentos. Eles se levantaram, já estávamos frente a frente.
Bieber: Hey, vocês poderiam por favor, nos dar uma informa ... – o cara do meio não o deixou terminar.
Cara 1: E aí, gostosa ? – um calafrio percorreu todo meu corpo.
Cara 2: Se eu pegasse ela, nunca mais pediria nada – outro disse mordendo os lábios.
  Justin pegou o do meio pela gola da camisa e o encostou na parede. Na mesma hora, quatro dos homens foram embora correndo, ficando apenas os dois que supostamente, por mim, eram pedófilos.
Bieber: Repete ! VAI DESGRAÇADO, REPETE !
Cara 1: A mina é gostosa mesmo, e aê ? O que o franguinho vai fazer ?
  Eu e o outro homem apenas os observava. Justin deitou o cara no chão, agachou ao seu lado, com uma mão segurava as duas do homem e com a outra o socava. O homem fica em cima de Justin (sentado na barriga dele) e começou a soca-lo. Eu não sabia se corria, se separava, ou chamava a polícia. Kenny e o outro motorista chegaram e separaram a briga, saímos correndo em direção aos carros, mas no caminho percebo um dos caras atrás de mim. Me viro, espero ele chegar, e sem pensar duas vezes, chutei seu amiguinho, ele ficou se contorcendo da dor e continuo a correr. Entro no carro e o motorista sai em disparada. Não demora muito já estou em casa, 5 minutos depois, Justin chega.
Eu: Tá tudo bem ? – perguntei o abraçando.
Bieber: Melhor agora.
Eu: Vem, vou cuidar desses machucados.
  A testa dele estava sangrando e perto da boca também. Corro pro banheiro, pego o kit de primeiros socorros e volto pra sala.
Eu: É louco de enfrentar esses caras ?
Bieber: Não ia deixar barato pelo que falaram de você. – soltei uma leve risada.
  Realmente tinha gostado de ouvir aquilo dele. Tinha me transmitido certa paz, segurança. Ficamos conversando mais um pouco e depois jantamos. A campainha toca, vou ver quem era ...
Eu: Chaz ...
Chaz: Ooi.
- Chaz ! – disse Justin aparecendo ao meu lado.
Chaz: Justin ... – Aquilo parecia mais uma cena de filme quando os “inimigos” se encontram e falam o nome um do outro.
Bieber: Você por aqui ...
Chaz: É. Eu vim ... Pra gente conversar um pouco, talvez.
Bieber: Pois é. Pena que perdeu a viajem. Ela já está ocupada comigo.
Chaz: Eu não sabia.
Bieber: Ótimo. Bom que agora sabe e já pode ir.
Chaz: Justin, eu só vim conversar com ela, não precisa desse ciúme todo.
Bieber: Ah, é ? E quem é você mesmo pra me julgar ? – Ele perguntou levantando a voz.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~>
Heeeey. Me desculpem não ter postado esses dias, é preguiça em excesso mesmo, K. Obrigada por comentarem, e o que acham que vai acontecer ? Continua com 3 comentários J

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Hate You - Capítulo 11.


 Dito e feito. Eles dormiram. Me joguei no sofá e acabei cochilando, acordei com alguém tocando a campainha.
Eu: Anda Justin, acorda vai. – disse o empurrando.
  Ele levanta e vai levar as crianças pro Kenny, vendo minha situação vou pro banheiro, tomo um banho rápido e coloco uma roupa pra ficar em casa. Saio do banheiro, Justin estava deitado em minha cama de barriga pra cima.
Eu: E agora ? O que fazemos ? – perguntei me sentando ao seu lado.
Bieber: Tenho várias sugestões – ele disse maliciosamente mordendo o lábio.
Eu: Nem vem que eu tô cansada.
Bieber: Ok. Mas hoje você não me escapa.
Eu: O que fazemos agora ?
Bieber: Hm. Tem karaokê ?
Eu: Ahaam.
  Ele foi andando pra sala e eu o acompanhei. Começou a cantar e a zuar tudo quanto era música e depois me fez fazer o mesmo. Depois pedimos spaghetti à bolonhesa pro serviço do hotel, não estava muito bom, mal cozido, mas deu pra rir da cara do Justin toda vermelha do molho. Em seguida, fomos “assistir” filme, ficamos conversando e rindo que nem dois idiotas de tudo que os atores falavam, sem contar a guerra de pipoca. Depois fomos pro not fuçar na internet, ficamos uma meia hora ali e o tédio dominou.
Eu: E agora ?
Bieber: Que tal fazermos o prédio tremer ? – ele perguntou molhando os lábios.
Eu: Melhor, tsunami.
Bieber: Não seria terremoto ? – ele perguntou rindo.
Eu: Tanto faz Justin.
  Ele veio por cima de mim e me deitou bruscamente na cama, beijou todo meu corpo e em questão de segundos estávamos apenas de roupas íntimas. Fiquei por cima, beijei seu corpo até chegar em seu membro, dei leves beijos o deixando mais excitado, tirei sua cueca com o dente e com ajuda dele. Justin ficou novamente em cima, tirou minha calçinha e senti sua língua passando pela “região”. Ele deu leves mordidas e subiu. Chupou e apertou meu seio, fiz um movimento rápido tomando conta da situação novamente, ele segurava e apertava minha bunda pressionando ainda mais meu corpo contra o seu. Sinto seus dedos passando devagar e cuidadosamente pelo meu clitóris, aquilo foi a gota d’água. Desço até seu amigo que já estava ereto, sem hesitar, levo-o até minha boca, exploro cada milímetro dele com minha língua, fico brincando mais um pouquinho e subo. Me sentei encostada na cabeceira da cama, Justin se sentou à minha frente deixando nossos companheiros frente à frente. Nos encaixamos, ficamos assim, sentindo aquele prazer indescritível, logo sinto seu gozo dentro de mim, eu arranhava suas costas e ambos de nós gemíamos. Estávamos com a respiração ofegante. O prazer foi aumentando e com ele a velocidade e a profundidade.
  Cansamos, nos desencaixamos e deitamos feito conchinha. Até que ele chega a boca perto do meu ouvido, e diz:
Bieber: Eu te amo.
  Só fingi que não ouvi, ou talvez tenha tido alucinação, algo do tipo. Ou será que ele disse mesmo que me amava ? Sem um “porque” aquilo estava me importunando, não conseguia pensar em outra coisa.
Eu: Vou tomar banho.
  Me levantei e fui pro banheiro. A água morna batia em minha costa me deixando mais leve, me rejuvenescendo. Sai do banheiro, me troquei e fui pra sala.
Bieber: Tomei banho na ducha, se importa ?
Eu: Ah, não.
  A campainha toca, vou abrir e era Thaís. Bitch. Como ela descobriu minha casa ?
Thaís: O Justin tá aqui ?
Eu: Tá – disse com a cara fechada.
  Chamei o Bieber e fui pro quarto. Sentei na cama e automaticamente uma lágrima se forma em meus olhos. Droga ! Para com isso, Beatriz ! Tá que eles são “só” primos, mas algo me diz que isso não vai terminar assim. E ainda vou me ferrar muito nessa história, sei disso. É sempre do mesmo jeito.
  Justin volta, me levanto rapidamente e limpo a quase lágrima.
Bieber: Por favor, me escuta. – Ele disse vindo até mim – Ela só ... – o interrompi.
Eu: Tudo bem. Não precisa explicar nada. Eu entendo, são da mesma família, tem muitas coisas em comum.
Bieber: Só não quero que pense ... – o interrompi novamente.
Eu: Fica tranqüilo. Eu não penso mais nada.
Bieber: Não tá tudo bem. Eu te conheço. O que houve ?
Eu: Já disse que não é nada.
Bieber: Para de mentir pra mim. Sei que não está. Só não quero te ver assim.
Eu: Sério, tá tudo bem. – disse e sorri, mas no fundo, sabia que era um sorriso falso.
Bieber: Tá, não vou mais insistir. Vamos arrumar a bagunça ?
Eu: Ok.
  Começamos pela sala, cozinha, os dois quartos, os três banheiros. Já era 9 horas, humor: exausta e estressada.
Eu: Justin, sinto muito, mas você tem que ir.
Bieber: Nossa. Ama a minha presença, não é ?
Eu: Eu só quero ficar sozinha.
Bieber: Tá tudo bem mesmo ?
Eu: TÁ, TÁ. Eu já disse, depois a gente se fala.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~>
Awwwn, ele disse que a ama *O* Acham que foi sincero, ou ele está apenas “brincando” ? Estou adorando os comentários, fico feliz de coração. Obrigada amores J Continua com 3 comentários.  

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Hate You - Capítulo 10.


  Pego um shorts jeans escuro bem curto, uma blusa normal roxa e como sempre, meu All Star. Faço um make levinho, arrumo umas coisas numa bolsa grande, escovo os dentes e a campainha toca. Pego a “mala” e vou abrir a porta.
Bieber: Precisa de uma ajuda, aí ? – pergunta rindo ironicamente.
Eu: Muito engraçado, haha.
  Ele pega a bolsa e descemos. Justin colocou as coisas no porta mala, entramos no carro e ele deu a partida. Rimos o caminho todo, chegamos no parque, não estava muito cheio pra nossa sorte. Ele pega a mala, passamos por aquela roleta e o monte do Bieber ficou preso devidos à bolsa. Acho que nem preciso citar que morri de rir. Cada um pagou sua parte por insistência minha, deixamos a bolsa no guarda-volume e fomos andar. Paramos diante de 500 brinquedos.
Bieber: Vai querer ir em qual primeiro ?
Eu: Não faz pergunta difícil, ok ? Ok. – ele riu.
Bieber: Vamos na montanha-russa então ?
Eu: Bora !
  Apostamos corrida, e claro, eu ganhei. Ficamos por uma meia hora na fila até que chegou nossa vez. Foi ótimo tirando a parte de que eu quase fiquei sem voz de tanto gritar. Depois fomos em mais dois brinquedos – mais tranqüilos – e já era hora do almoço. Pegamos a bolsa e levamos pra onde tinha umas mesas e uns quiosques que vendiam lanches. Estiquei um pano na mesa e tirei o refrigerante, pão, presunto, queijo, dois bolos, e um mousse de chocolate meio amassado e derretido.
Bieber: Hm. Esse mousse tá com uma cara ótima – ele disse rindo.
Eu: Besta, ele ficou por baixo.
Bieber: Muito esperta.
Eu: Cala a boca Justin. Vou fazer você comprar esses lanches caros.
  Ele riu. Terminamos de comer, guardamos novamente a bolsa e ficamos dando voltas até a comida baixar. Meia hora depois fomos em 10 brinquedos, um mais perigoso que o outro. Eram 11 horas quando ele me deixou em casa, tomei um banho morno, coloquei um pijama do Patrick, jantei um miojo e apaguei. No dia seguinte, acordo com alguém batendo na porta. Olho no relógio, 8 horas, pqp ! Quem será o trouxa que vai morrer ? Fui no banheiro, lavei o rosto e fui ver quem era. Adivinha ? Sim, era o Justin.
Eu: Caralho, o que você quer comigo essa hora ?
Bieber: Você será babá por um dia.
Eu: Não tô brincando.
Bieber: Nem eu.
  De trás dele saíram duas crianças, uma menina que aparentava ter uns 3 anos e um menino pouco menor.
Bieber: Meus irmãos, Jazzy e Jaxon.
Eu: Justin, eu não sei cuidar de criança. Mal sei cuidar de mim.
Bieber: Relaxa, eu te ajudo. Não tem mais ninguém que possa ficar com eles, Kenny passa aqui ao meio dia para pega-los.
Eu: Okay. Se não tenho outra opção. Mas olha, vou avisando, não me responsabilizo se acontecer alguma coisa.
Bieber: Não vai acontecer.
  Ele entra com as crianças. Ok, tinha de admitir, são muito fofos. Colocamos os dois sentado no sofá e paramos em frente à eles.
Eu: E agora ? Como se cuida de crianças ?
Bieber: Sei lá. Acho que temos que fazer o que eles querem.
Eu: Tá louco ? Vai mal acostumar eles.
Bieber: Tem outra ideia ?
Eu: Não. Então você olha os dois enquanto eu arrumo meu quarto.
  Nem deixei-o responder e fui correndo pro quarto, arrumei a cama, guardei umas roupas que estavam no chão e ouço choros vindo da sala. Vou pra lá e Justin está com Jaxon no colo o chacoalando, e Jazzy chorando. Pego ela e começo a “dançar” pela sala.
Eu: Oooh. Seu irmão desnaturado te deixou sozinha, foi ? – disse fazendo uma voz estranha.
Bieber: Eu não consigo dar conta de dois, ok ?
Eu: Precisamos descobrir o que eles querem. Awn. O que você quer Jazzy ?
Jazzy: Papi. Papi.
Eu: Justin, o que é papi pra ela ? Pai (?)
Bieber: Como é ?
Eu: Papi.
Bieber: Não tenho ideia, ela nunca falou isso.
Eu: Arrrgh. Papai Jazzy ? Pai ?
Jazzy: Papi.
  Ela apontou pra uma mala, fui em direção, ela mexeu e tirou uma papinha de lá.
Eu: É papinha, Justin !
Bieber: Como eu ia saber ? Já fala o papi, o que custa falar o “nha” ?
  Olhei pra ele com cara de “WTF ?”. Depois de muita bagunça, já estávamos todos sujos de tinta, meu apartamento virado do avesso, eram 11:30. Graças a Deus. Não que eles fossem crianças difíceis, mas sempre chega uma hora que cansa.
Eu: Justin, eu não agüento mais. Eu me rendo, me entrego. Cansei – disse com a respiração ofegante.
Bieber: É só mais meia hora, passa rápido. 

~~~~~~~~~~> Continua com 2 comentários :)

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Hate You - Capítulo 09.




Tava comendo quando a campainha toca. Droga. Fui abrir e era Chaz, ele deu um sorriso de orelha a orelha quando me viu.
Eu: Como me encontrou aqui ? – perguntei surpresa.
Chaz: Tenho meus contatos – ele disse e piscou.
Eu ri fraco e disse: Entra.
  Fomos pra cozinha, ofereci almoço, ele negou, se sentou à minha frente e ficou me observando.
Chaz: Tá tudo bem ?
Eu: Claro, por que não estaria ?
Chaz: Porque está com uma carinha triste e seus olhos dizem que precisa de um amigo. – ele disse e segurou minha mão.
Eu: É, deve ser só impressão sua. Eu tô ót ...
Chaz: Pode se abrir comigo, se quiser. Ou podemos sair pra dar uma volta de preferir.
Eu: Prefiro sair.
Chaz: Tá certo.
  Terminei de almoçar, Chaz ficou na sala enquanto eu me trocava. Vesti um shorts jeans, uma blusa xadrez roxa com uma branca básica por baixo. Calçei um All Star, passei lápis e um gloss bem claro. Saímos e fomos caminhando até uma sorveteria, Chaz foi me contando piadas toscas que de tão idiota me faziam rir, e algumas experiências engraçadas que aconteceram com ele. Pedimos nossos sorvetes e ficamos conversando, eram 17:17 quando voltamos pro apartamento.
Eu: Foi bom rir com você.
Chaz: Fico feliz que tenha gostado – ele diz abrindo um sorriso.
Eu: Me passa seu celular ?
  Ele passou e foi embora, entrei, me joguei na cama e acabei pegando no sono. Acordei com meu celular despertando 18:50. Estava atrasada. Mas, ah, dane-se a faculdade. Não tô com cabeça pra isso, um dia a menos não vai fazer diferença.
  Novamente sozinha. A dor volta ao me lembrar de Justin. Merda. Por que eu sempre me ferro ? Acho que porque sempre espero demais das pessoas, por isso acabo me iludindo.
  A campainha toca, uma, duas vezes seguidas. Do mesmo jeito, de cabelo em pé, levanto e vou abrir. Era Drew, tento fechar a porta, tentativa em vão, obviamente ele era mais forte. Não pude pronunciar uma sequer palavra, sou surpreendia com um beijo. Não posso negar, saudade de seu beijo que só ele tinha, seu lábio carnudo, sua boca aveludada. Justin me solta, sento no sofá enquanto ele sai lá fora. Fecha a porta, e volta com um buquê de rosas, um ursinho e uma cesta na mão. Deixa tudo ao seu lado no chão, se ajoelha e fala:
Bieber: Por favor. “Volta” comigo. Não tem ideia da falta que me faz. Perdão se eu fiz algo de errado, nunca foi a minha intenção. Não desista de mim assim, tão rápido. Por favor.
Eu: Como soube que estaria em casa ?
Bieber: Não sei. Só sabia que não iria pra faculdade. Mas não muda de assunto. Me responde.
Eu: Vou confessar. Fui uma idiota. Fiz tudo errado, como sempre. Fiquei brava com você por causa da garota e nem quis saber da explicação.
Bieber: Tô perdoado ?
Eu: Hmmm. Yeah.
  Ele sorriu e me abraçou forte.
Bieber: E isso é pra você. – disse olhando pras coisas jogadas no chão – Eu tenho que ir, não posso ficar muito com você hoje. Estou atrasado pra uma reunião importante.
Eu: Aaaaaaah – resmunguei fazendo biquinho.
Bieber: Mas se prepara. Amanhã vamos num parque que tem aqui. Te busco 10 horas, tudo bem pra você ?
Eu: Ahaam.
Bieber: Certo.
  Ele me beijou e foi. Fiquei parada no meio da sala com um sorriso bobo no rosto. Peguei as flores e as coloquei numa jarra de vidro com água, segurei o ursinho branco, que era um urso polar, nele continha um cartão escrito “Never Let You Go”. Coloquei-os em cima da cama, voltei pra sala e abri a cesta. Tinha variadas comidas: chocolate, Doritos, Coca, bolacha, vários tipos de doces, pães, etc. Guardei tudo na cozinha e fui pra sala assistir Glee. Era meia-noite e ainda não tinha conseguido dormir. Fui na cozinha, peguei o Doritos, levei pro quarto e entrei no twitter. Justin havia acabado de tweetar “Amanhã só diversão com @Beatriz69”. E em questão de segundos foram aparecendo followers. Fiquei apenas observando, e em 5 minutos estava com 20.000 seguidores ! Sai do twitter antes que as mentions começassem a chegar, escovei os dentes e depois de 10 minutos consegui dormir. No dia seguinte, acordo 9 horas, tomo um banho, tomo café de roupão e volto pro quarto me vestir. Fuço nas minhas roupas, nada que me agradasse.

~~~~~~~~~~~~~~> Continua com 2 comentários J

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Hate You - Capítulo 08.


  Ponho uma calça jeans preta bem colada, uma baby-look branca básica e por cima uma blusa de manga comprida fina cinza do Mickey. Calço meu All Star e faço um make leve, passando só pó e lápis. Saio de casa e vou caminhar a pé mesmo, o problema era que tudo que via me fazia lembrar dele. A loja de CD’s, o rosto das pessoas, o nome parecido com o restaurante que fomos. Ando até uma praça que não era longe, me sento em um banco qualquer, fecho os olhos e  fico admirando o canto dos pássaros.

   Meu Deus. O que está acontecendo comigo ? Drew, Drew, Drew, sai da minha cabeça, por favor. Queda ? Até poderia ser, e seria melhor se fosse. Minha preocupação era de ser algo além da simples queda. Minha cabeça estava girando, não sei porque, meu coração acelerado. Arrepiei quando uma mão gelada pousou em meu ombro. Olhei pra trás e era um menino de olho escuro, bem maior que eu, cabelo bagunçado, e tinha pouca semelhança com Justin. Ele se sentou ao meu lado e perguntou:
Menino: Posso ?
Eu: É. Já está sentado.
Menino: Vai com calma. Como é o nome da bravinha ?
Eu: Beatriz. E o seu ?
Menino: Chaz, Chaz Somers.
Eu: É um prazer, mas chegou tarde. Já estava de saída.
Chaz: Aah, agora não. Fica mais uns minutinhos.
Eu: Tudo bem.
Chaz: No que estava pensando ?
Eu: Ahn ? Eu, pensando ?
Chaz: É. Ficou claro que interrompi seus pensamentos quando cheguei.
Eu: Eu não estava pensando. Foi só impressão sua.
Chaz: Espera, já sei. No namorado (?)
Eu: Não, eu não namoro.
Chaz: Ficante então ?
Eu: Talvez.
Chaz: Yeah. Será que eu conheço ?
Eu: Provavelmente. Mas pra deixar bem claro, ele não é meu ficante. É o Justin. Bieber.
Chaz: Ah. – ele disse revirando os olhos.
Eu: O que foi ?
Chaz: Nós nos conhecemos. Mas, não somos amigos. E acho que tá bem longe disso.
Eu: Se conhecem ... pessoalmente ?
Chaz: Sim. Infelizmente.
Eu: Hm. Eu ... tenho que ir agora.
Chaz: Tá, mas pode me passar seu celular ?
   Passei meu número pra ele e voltei pro apartamento. Quando fui entrar no quarto levei um susto com o cachorro do Justin deitado na minha cama.
Eu: Aaaaaah. Filho da mãe. Vai assustar tua vizinha Justin ! – disse colocando a mão no peito.
Bieber: Calma. Só queria fazer uma surpresa.
Eu: Conseguiu, parabéns. Agora já pode ir.
Bieber: Não sem antes você me ouvir. – ele se levantou e veio em minha direção. – Escuta. Por que ficou brava comigo ? Por que foi embora da    quele jeito? Por que não me deixou explicar ?
Eu: Não sei. Pronto. Escutei e respondi, agora vai.
Bieber: Pra que isso agora, Beatriz ? Por que tá me evitando ? Por que me mandou ir “comer” a Thaís ?
Eu: É assim com todas, né ? Você tem esse trato com quantas outras garotas ? E as que tá ficando ? Eu só não quero ser usada e depois chutada como se fosse um nada. Desculpa, mas é pedir demais ?
Bieber: Não, mas se é o que pensa, não estou fazendo isso com você. Não tenho esse trato com mais ninguém, nem tô ficando, não tenho nenhuma relação além da nossa. Se todo esse drama é por causa da Thaís, saiba que ela é uma prima muito distante minha, já fiquei com ela sim, mas foi só uma vez. Ela sempre quis mais que isso e vive me importunando até hoje. Desculpa, mas não pode me culpar por isso. E você não é “mais uma” pra mim. Aquele trato foi a única maneira que encontrei pra me aproximar de você. Por favor, para de ser dramática.
Eu: Dramática, Justin ? Não é drama. São meus sentimentos, ok ? Mas perdão, esqueci que eles não importam, na verdade pra ninguém. Desculpa por sofrer, ser usada, e depois jogada fora como se fosse um brinquedo que não presta mais, por ser decepcionada, perdoar e a pessoa cometer o mesmo erro. Só cansei de fazer papel de idiota.
Bieber: E eu ? Tenho sempre que estar atento, saber se as pessoas gostam de mim pelo que eu sou e não pelo dinheiro. Eu nunca tenho certeza de nada, não posso confiar em ninguém.
Eu: Tá dizendo que eu só aceitei o trato por causa da sua grana ? Quer saber, Bieber ? Enfia tua fama no ##.
Bieber: Espera ! Não foi isso que eu quis dizer.
   O empurrei até a porta, batia-a em sua cara e me sentei no tapete encostada no sofá. Abracei meu joelho e as lágrimas tomaram conta de meu rosto. Meu Deus. Não acredito que ele disse mesmo que “estava” com ele por interesses. Uma dor interminável corroia e destruía meu peito. Por que comigo ? Por que sempre comigo ? Mais uma vez machucada. Mesmo sem querer e fazendo de tudo pra não acontecer. Não quer saber ? Não vou deixar ele sair vitorioso nessa história.
   Enxuguei as lágrimas, fui pra cozinha e comecei a fazer uma lasanha. Não adiantaria ficar chorando que nem uma idiota enquanto ele tá lá se divertindo.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~> Awwn. Eu amei os comentários, sério. Levei um susto quando entrei e vi que tinham 5 J

Respostas.

Sarah: Obrigada amor, por acompanhar aqui desde o começo, valeu ;3

Júlia: Obrigada bebê, fico feliz de saber que está gostando ><

@JBiebrMinhaVid: Seja bem-vinda amor, e obrigada (:

Anônimo: Pedido atendido, espero que assim fique melhor <3

Renata: Obrigada amor, de coração s2

Continua com 2 comentários bebês, e obrigada mais uma vez.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Hate You - Capítulo 07.



- Vamos pra minha casa.
- Ahn ? Fazer o que ? Eu tô sem nada aqui.
- Passei no seu apê e peguei umas roupas, fica tranqüila.
- Que é que você tá querendo ? – ele me olhou maliciosamente.
- Tenho mesmo que falar ?
- Não !
- Hoje você não me escapa.
- E quem disse que eu quero escapar ? – disse levantando uma sombrancelha.
   Ele riu e continou o percurso. Nem prestava atenção no caminho, já estava perdida. Chegamos na casa – melhor dizendo, mansão – dele e fui direto pro quarto. Estava só de roupas íntimas quando ele entrou gritando.
- AAAAAAAAAAH – ele pulou em cima de mim e só então percebi que estava só de cueca. Começou a me beijar e me jogou na cama, me olhou – melhor, comeu – todo meu corpo, começou beijando minha perna, coxa, cintura, barriga, baço, peito, busto e enfim meu pescoço. A cada toque dele um calafrio percorria meu corpo. Ele desceu novamente, tirou minha calcinha e deu leves beijos na minha “amiga”. Fiz um rápido movimento ficando por cima, desci até seu amigo e percebi que já estava ereto, tirei sua cueca e apertei seu membro fazendo Bieber se contorcer. Peguei-o pela base e sem pensar duas vezes, o levei à minha boca. Fazia rápidos movimentos com a língua, Justin gemia lá de cima e dava suspiros abafados. Dei leves mordidas em seu amigão e subi, me deitei e abri a perna de modo que elas ficassem erguidas, Justin se deitou por cima de mim, entre minhas pernas e começou a roçar nossas intimidades, fazendo com que o prazer aumentasse. Ele penetrou e em seguida começou a brincar de socar o pênis em minha vagina. Entramos no orgasmo juntos, ele deitou-se ao meu lado, me aconcheguei em seus braços e dormi. No dia seguinte acordei com uma fome anormal. Fui ao banheiro, tomei um banho rápido, fiz minha higiene e desci a procura da cozinha. O tarado do Justin estava tomando café.
- Por que não me acordou ? – perguntei me sentando.
- Você estava tão fofa dormindo.
- E acordada ?
- Acordada ? É o capeta em pessoa.
- Idiota. – disse dando um leve soco em seu ombro.
   Arrumei um pão e comecei a comer. A campainha tocou.
- Deixa que eu vejo – disse me sentindo a dona da casa.
   Vou até a porta, era uma menina loira do cabelo escorrido, magra, olhos verdes, usava aquelas roupas de patriçinhas de Beverly Hills.
- Por favor, o Justin.
- Ah, o-o Justin...JUSTIN ! – gritei e a garota me fuzilava.
   Ele chegou e parou ao meu lado, ela simplesmente o selou e começou a falar umas coisas que preferi não escutar.
   Não sei o que me deu, automaticamente fui pro quarto arrumar minhas coisas. Dois/três minutos depois, Justin entra no quarto. Já estava com a mochila nas costas pra ir embora.
- Hey, onde você vai ?
- Embora. Assim você fica livre pra receber a “próxima” melhor.
- O que ? Do que você tá falando ? Eu ...
- Porque perde seu tempo aqui ? Pode ir lá comer ela.
- Aaaaah. A Thaís.
- Não importa quem é ela.
- Importa sim ! Me deixa falar ...
- Não quero que perca seu tempo comigo. Vai lá. – fui andando em direção à porta, mas Bieber segurou meu braço.
- Eu te levo.
- Eu posso pegar um táxi.
- Para com isso, por favor.
- Eu preciso ficar sozinha. Tenta me entender.
   Ele me soltou, e consegui pegar o primeiro táxi. Cheguei em casa, tomei café direito e me joguei no sofá.
   Uma pergunta não saia da minha cabeça “quem era a nojentinha ?”. Meu Deus. Por que fui aceitar esse trato idiota ? Eu sabia que poderia não agüentar. Agüentar o que Beatriz ? Ah, cala a boca. Uma saudade repentina dele, não podia, não queria me envolver. Talvez medo, medo de sair machucada como sempre. Já sofri muito na vida por amar quem não merecia, já chorei muito por amor, amores não-correspondidos, ilusões. Eu precisava de um tempo, pra colocar meus pensamentos em ordem, descobrir o que estava sentindo.
  Meus pensamentos são interrompidos pelo celular tocando, peguei e vi que era meu irmão.
- Oi, pestinha.
- Oi, Bia. Tudo bem ?
- Tudo sim. Mas espera ... você não retrucou. Tudo bem ?
- Não muito. O pai e a mãe estão num pé de guerra. Todo dia discutem, é briga pós briga. Eu pergunto e eles falam que não é nada. Eu tô desesperado, o que eu faço ? Não tenho ninguém aqui.
- Esperar. Só o tempo pode resolver isso. Mas e o motivo das brigas ?
- Parece que ele está traindo ela, e por causa de dinheiro também.
- Ah, qualquer coisa que precisar me liga então.
- Okay, tenho que desligar, beijo.
   Sexta-feira de manhã, depois de tomar café, resolvo sair um pouco, esquecer da vida.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~> Continua com 2 comentários, e desculpem a demora.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Hate You - Capítulo 06.


 Vesti uma blusa branca escrita “I Love Music” e um mini shorts jeans escuro. Calcei um All Star, sequei o cabelo e fui pra cozinha lavar louça. Dês minutos depois, Justin dá o ar da graça.
- Vamos almoçar fora.
- Haha. Muito engraçado.
- É sério, você só me leva na brincadeira. Tem um restaurante bom aqui perto, Kenny já foi e disse que é bom.
- Quem é Kenny ?
- Meu motorista.
- Hm. Se você insiste, okay.
   Fomos no meu carro. O “perto” dele demorou 15 minutos, entramos no restaurante e parecia ser um lugar legalzinho. Nos sentamos numa mesa pra dois e ficamos de frente um pro outro.
- O que vão querer ? – pergunta uma garçonete vindo até nós.
- Batata frita.
- Nem pensar. Você comeu isso ontem, tem muita gordura, faz mal pra saúde. Spaghetti pros dois por favor.
- Algo mais ?
- Por enquanto não.
- Quem pensa que é pra me impedir de comer o que eu quiser ? Af, tá pior que minha mãe.
- Precisa se cuidar.
- Digo o mesmo. Por que não cuida da SUA vida ? – ele sussurou algo baixo que não deu pra entender.
- O que ?
- Nada. Não disse nada.
   O silêncio predominou no ambiente, não sei exatamente o por quê, desviava o olhar pra tudo quanto é canto, não queria olhar nos olhos dele.
- Do que você mais tem medo ?
- Ahn ? O que ? Eu ? Sei lá. – foi inevitável não olhar pra ele, parecia que estava ... diferente.
- Sabe sim. Tem que ter medo de algo.
- Não sei. Talvez perder tudo o que eu tenho.
- Tipo ... ?
- Minha melhor amiga. Manoela. A vida toda só pude confiar nela, no momento ela mora em Los Angeles. Faz um ano que não nos vemos, tenho medo de perder contato. Outro medo, acho que, perder mais alguém especial pra mim. Não sei se suportaria passar por tudo de novo.
- Sei ... entendo.
- E os seus medos ?
- Bom ... talvez acordar e ver que tudo não passou de um sonho, que ainda sou um garoto pobre de Strattford.
   Ficamos conversando mais um pouco, sobre ele dessa vez. Estava distraída passando a faca pelo prato, quando sinto uma coisa grudando no meu rosto. Era macarrão. E sim ! Ele queria guerra de comida !
- Por que fez isso ?
- Te provocar seria uma ótima resposta.
- Haha. Então parabéns, você conseguiu !
   Joguei mais macarrão nele, começamos uma guerra de comida, joguei a água, até acabarmos com o resto de comida que tinha em nossos pratos. Paro e me deparo com alguns casais nos olhando e umas crianças rindo, estava imunda. O rosto de Bieber estava todo vermelho da massa de tomate, assim como a camiseta que estava ensopada de água. O gerente veio até nossa mesa:
- A guerrinha vai custar caro.
- Sim senhor. Sem problema – ele segurava a risada.
- Vou lá pagar – disse rindo.
- Okay, vou no banheiro. – disse também rindo.
   Assim fiz, me olhei no espelho e sorri involuntariamente. Aiai. Meu celular começou a tomar em meu bolso.
- Alô ?
- Ooi, é a Manu.
- Aaah, oi vaca. Tudo bem ?
- Sim, estou indo. E você ?
- Bem. Por que “indo” ?
- Depois eu te conto. Só liguei pra saber como você está. Tenho que desligar agora. Beijo.
- Certo. Beijo.
   Desligo o celular, e vou pra porta dor restaurante, Justin estava me esperando ali. Entramos no carro e o caminho todo fomos rindo do ocorrido.
- Ai, ai. Minha barriga, tá doendo de tanto rir.
- É normal – ele soltou uma leve risada – E vamos fazer o que agora, Srª Beatriz ?
- Hm. Descansar.
- Aah, não. Vou te ajudar com a tarefa da faculdade.
- Hey, você é cantor, não entende nada de psicologia.
- Posso tentar. – ele disse e sorriu.
   Chegamos no apartamento como disse, ele me ajudou a tarde toda. Deu a hora, fui me arrumar, ele me levou de novo. A aula foi normal, nada de tão interessante ou difícil. Exatamente 21:30 Justin estava lá.
- Tô gostando de ver, aprendendo a ser mais pontual.

----------------------------------à Continua com 3 comentários. É importante pra mim J

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Hate You - Capítulo 05.



- Quem era ? – pergunta Justin chegando na sala.
- Minha prima.
- Ela não sentiu o cheiro ?
- Claro, né. Disse que era um vizinho.
- Hm. – a campainha toca – Vai que é ela de novo.
- Não. É a marmitex.
- Como sabe ? – ele pergunta fazendo uma cara estranha.
- Tenho dom pra sentir cheiro de comida. – rimos juntos.
  Peguei as marmitex, arrumei a mesa e começamos a comer.
- Quer fazer o que amanhã ?
- Sei bem o que você quer fazer, e eu vou descansar.
- Não vale. Disse que íamos repetir.
- Eu disse “talvez”. Tenho que fazer um trabalho da faculdade pra sexta e amanhã já é quarta, nem comecei.
- Se esse é o caso, eu te ajudo.
- Não precisa. Sério, dá um descanso.
- Okay. – ele estava mentindo, podia ver em seus olhos.
  Terminamos a janta e ele foi embora. Enfim, um tempo sozinha. Deitei na cama, peguei o celular e fiquei ouvindo Rock no último volume. Simplesmente esqueci do mundo, dos problemas, da escola, do ano que acabara de começar e não seria nada fácil, de tudo. A música sempre fez parte de mim, muda meu humor completamente, é algo que mexe comigo inexplicavelmente.
  Quando estava quase pegando no sono, abaixo o volume e acabo dormindo.
  No dia seguinte, acordo com alguém pulando – literalmente – em cima de mim. Estava de barriga pra baixo, não dava pra saber quem era, virei um pouco o rosto e pelo que vi, mais o perfume ... era Bieber.
- Bieber, seu gordo, saí daqui – disse o empurrando, sem sucesso – Justin balofo, sai de cima de mim ! – pronto, ele soltou todo seu peso contra mim – Aaaaah, seu jabulane, sua bola gorda, saí !
- Diz: eu te amo Justin.
- Você sabe que é mentira, saí !
- Diz logo.
- Eu te amo Justin. – disse bufando e depois dei um sorrisinho falso.
- Agora: você é tudo na minha vida.
- JUSTIN !
- FALA !
- Você é tudo na minha vida. – disse baixo.
- Ahn ? Fala mais alto, não escutei.
- Af. VOCÊ É TUDO NA MINHA VIDA. PRONTO.
  Depois de tudo isso ele saiu e se sentou ao meu lado na cama.
- Como entrou aqui ?
- Falei com os caras da recepção.
- Hm. Tá cedo.
- Não. Que horas costumava acordar ?
- Ah, antes quando não tinha você pra me acordar cedo ? Depois do meio dia.
- Então, vai aprender a acordar mais cedo.
- Você quase me matou sufocada. Não tem moral pra falar isso.
- Eita, exagero ! Não sou tão gordo assim. Anda, levanta logo ! – ele disse puxando minha coberta.
- Af, já levantei, você ganhou. Parabéns. – disse já entrando no banheiro.
  Tirei minha roupa e entrei no chuveiro, a água estava morna. Tava distraída tomando banho quando Justin entra, fecha a porta e começa a tirar a roupa.
- Hey, hey. O que pensa que tá fazendo ?
- Vou tomar banho com você, ué.
- Eu deixei ?
- Ah. Nem precisa.
  Ele entra no box. Ok, tínhamos feito o trato, mas não tinha intimidade suficiente pra vê-lo nu.
- Qual é Beatriz. Não precisa ter medo de mim. Vem cá. – ele começou a correr atrás de mim e ficamos dando voltas dentro do box.
  Até que ele conseguiu segurar a minha cintura com as duas mãos e começou a me beijar, acabei me deixando envolver. Ele passou uma das mãos pra minha nuca e deixou a outra em minha cintura, uma minha passava por dentro de seu cabelo molhado enquanto a outra alisava sua costa nu. Ele pressinou mais meu corpo contra o seu, não deixando nenhum milímetro de espaço entre eles. Quando nossos membros se encostaram senti um arrepio percorrer todo meu corpo, e fui ver a burrada que estava prestes a cometer. Puis minhas mãos no seu tórax e o empurrei devagar.
- Aqui não, nem agora.
- Mas porque ?
- Não insista Bieber, ou já era o trato.
- Af. Okay, chantagista.
  Ele saiu do box, enrolou uma toalha na cintura e  foi pro quarto. Terminei o banho, vesti um roupão e fui procurar uma roupa na última gaveta da cômoda. Justin passou por mim, deu um tapa em minha bunda e foi pro banheiro.

-------------------------à Continua com 2 comentários J

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Hate You - Capítulo 04.


 Ele ficou quieto e me levou pra casa, quis ficar pra jantar, como estava cansada pra fazer comida, deixei e disse que ele prepararia o jantar. Fui tomar um merecido banho e deixei-o sozinho. Sai do banheiro enrolada numa toalha e puis uma camisola curta do Bob Esponja, coloquei uma meia e fui pra cozinha. No caminho senti cheiro de queimado.
- Posso saber o que o senhor tá fazendo ? – perguntei tentando ser calma. Mas foi uma missão impossível quando vi uma fumaça preta saindo do forno e o Justin segurando uma panela com a cara preta.
- Bom, eu ... tentei fazer lasanha.
- Na panela, Justin ?! Por que não disse que não sabia cozinhar ?
- Não ia deixar eu jantar com você.
- Aaaf.
  Cheguei perto do forno, e adivinha ? Tinha pedaço de lasanha queimada por todo lado, casca de ovo, que não sei da onde ele tirou, leite condensado ... Tirei a panela da mão dele e vi que nem tinha como usar. Tentei ficar o mais calma possível.
- Poucas palavras. Você vai limpar isso. E espero que tenha sido clara.
  Deixei a panela na mesa e fiquei o olhando. Ele pegou uma tasquinha queimado de “lasanha”, experimentou e fez cara de nojo.
- Não tá TÃO ruim assim.
- Não é o que seu rosto mostra – disse rindo – Vai tomar um banho, tá todo preto. Eu me viro aqui, mas quem vai limpar é você.
- Okay.
  Consegui amenizar a fumaça, mas a preguiça queria enfrentar a cozinha ? Liguei pro serviço do apartamento e pedi duas marmitex. Joguei a panela tostada fora, Bieber saiu do banho e foi limpar o forno enquanto eu assistia TV de boa.
- Acabei, madame. – ele disse se sentando ao meu lado exausto. Não respondi, ele colocou uma mão na minha coxa e deitou no meu ombro.
- Ow.
- Fala.
- A gente bem que podia repetir a dose de hoje a tarde, hein ?
- Tá louco, né ?
- É o trato !
- E duas vezes no mesmo dia ? Não sou de ferro, ok ? Amanhã, talvez.
- Ah, por favor. Só hoje.
  Ele começa a me beijar intensamente, era impossível não ceder àquele pedido, mas estava cansada. Nos deitamos de modo que ele ficasse em cima de mim, Justin beijou meu pescoço e deu leves mordidas no mesmo. Tirou minha camisola, e eu, pretendia parar, porém era difícil. Eu estava só de roupas íntimas e ele de cueca e um shorts grande que ia tirar quando a campainha tocou.
- Aí, seu idiota. Fica me agarrando, tá vendo no que dá ?
- Fala então que não tava gostando.
- Tá, tá, tá. Anda, vai pro meu quarto. Vai que é algum conhecido meu. Ninguém sabe da gente. – disse vestindo a camisola. Bieber ainda estava deitado.
- Anda Justin ! – levantei-o e fui empurrando até meu quarto. – Fica aí. E não fala nada !
- Ok, mamãe. – disse bufando.
  Bati a porta na cara dele, ajeitei o cabelo e atendi a porta. Era Débora, uma prima bem chegada minha que morava no mesmo prédio.
- Aaah. Oi Débora. – disse sem jeito.
- Oi Bia. Cara, que cheiro estranho.
- É, um vizinho ... veio aqui cozinhar e deixou a panela queimar.
- Vizinho novo ? Quem é ? – Droga, droga, droga !
- Ah, você nem conhece.
- E onde ele tá ?
- Hm .. Tomando banho. É.
- Mas não é seu vizinho ?
- É, mas acabou a água no apartamento dele. Então, eu tenho que entrar e limpar a bagunça na cozinha. Beijo.
- Okay, até mais.
  Entrei e me encostei na porta aliviada.

---------------------------à Continua com 2 comentários J

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Hate You - Capítulo 03.


- Fala que não gosta – ele disse me provocando.
  Ele se aproximou, foi pra trás de mim e me abraçou, cheirou e mordeu meu pescoço. Ok, ele sabia como levar uma garota a mil.
- Diz que não gosta disso – ele disse colando mais nossos corpos, se é que isso era possível.
  Me virei pra ele e comecei a beija-lo. Um beijo gostoso e quente que ficava cada vez melhor. Bieber colocou a mão em minha coxa e subiu pra bunda, fomos andando até a cama sem parar o beijo. Ele me jogou na mesma e veio sobre mim, tirei minha blusa e a calça. Justin beijou meu ombro e busto, em seguida tirou lentamente meu sutiã, mordeu de fraco, apertou e beijou meu seio. Fiz um movimento rápido, ficando em cima dele, parei de beija-lo e fui descendo beijando todo seu corpo até chegar em seu amigo. Tirei sua cueca com a ajuda dele e depois minha calcinha. Sentei no seu membro sem penetrar, apenas roçava nossas intimidades. Vi que Bieber não queria penetrar, mas não deixava de propósito.
- Por favor. Não faz isso ! – ele implorou em meio a gemidos.
  Encaixei nossas intimidades e comecei a rebolar e a quicar em Justin, fazendo-o gemer mais. Bieber delicadamente mudou nossas posições, ficando por cima, ele beijou todo meu corpo, abri as pernas e ele sentou-se em meio a elas. Justin fazia movimento de vai e vem, eu gemia. Em seguida ele subiu e se deitou ao meu lado. Acabei dormindo de conchinha nele.
  Acordei com o carrapato me beijando.
- Ah, sai Justin – disse me espreguiçando.
- Acorda vai. E aí, quem acabou com quem ?
- Eu com você, é óbvio. Você com seu ego enorme, e nem é tão bom assim.
- Sério ? – ele perguntou indignado.
- Dá pro gasto. – Ok, eu mentia. Ele foi ótimo.
- Digo o mesmo de você !
- Não tô afim de discutir contigo. Vem cá, que horas são ?
- Hm ... 18:30 – diz após olhar no relógio.
- Aaaaah. Meu Deus ! Socorro Justin, eu tô atrasada ! A faculdade começa 19:00. Dá pra levantar essa bunda daí e me ajudar ? – disse me levantando com o lençol correndo de um lado pro outro.
- Porque o desespero ? Pode chegar atrasada.
- Não em dia de prova !
  Sem pensar mais, entrei no banheiro e tomei o banho mais rápido da minha vida, sai enrolada na toalha, arrumei uma roupa e voltei pro banheiro me trocar. O bundão do Justin estava deitado rindo de mim. Arrumei minha bolsa com o material e pedi – na verdade mandei – Bieber me levar. Ele vestiu uma roupa rapidamente e fomos pro elevador que nunca chegava. Vejo no celular e já eram 18:45.
- Merda, merda. Não chega logo – digo apertando o botão várias vezes.
- Calma.
- Tá quebrado. – diz um cara com roupa de mecânico e segurando uma mala. Droga, não é meu dia !
- Vem, vamos de escada – seguro na mão de Justin e saio correndo. Na escada:
- Pode me dizer onde é a faculdade ?
- Garanto que bem longe.
  Entramos no carro. Eu dava as direções a Bieber mas o esperto entrou numa rua errada. Ficamos perdidos por mais ou menos 10 minutos. E eu em desespero. Finalmente ele me deixa lá e diz que voltaria pra me buscar, não neguei já que não tinha como voltar. Entrei na sala tirando a atenção de todos, que pelo visto já tinham começado a prova.
- Pode me explicar a demora ?
- É que ...
- Não quero saber. Se sente e comece a prova.
- Tudo bem.
  Assim fiz, a prova estava meio termo, então acabei e fui liberada 9 horas. Liguei pro Bieber e fiquei esperando no estacionamento. Meia hora depois ele chegou.
- Foi esperar fazerem a gasolina pro carro ? – perguntei irritada entrando.
- Eita ! Não precisa dar patada. Eu só ... me perdi.
- Okay. Então anda logo que eu tô com fome – ele me olhou com cara de safado e mordeu o lábio.
- Af. No bom sentido, eu estou com fome. Melhor assim ?
- Tá, entendi. Você tá com fome – disse ainda levando na besteira.
- Justin Drew Bieber, cala a boca e dirige !

~~~~~~~~~~~~~~~> Continua com 1 comentário.